Lançamento da nova classificação dos fundos da Anbima passa para 1º de outubro

Associação que representa o mercado de fundos conseguiu pleitear adiamento na data para a adaptação de sistemas

FERNANDA GUIMARÃES, O Estado de S. Paulo

15 de junho de 2015 | 13h09

O lançamento da nova classificação dos fundos da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) será postergada para o dia 1º de outubro, segundo nota à imprensa enviada pela entidade. Antes planejado para 1º de julho, a mudança no cronograma ocorre por conta da alteração da entrada em vigor das instruções 554 e 555 pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A decisão da CVM ocorreu após pleito da própria Anbima, sobre necessidade de adaptação de sistemas. Como explica a CVM em comunicado, "a prorrogação do prazo para entrada em vigor da ICVM 555 demandou o adiamento da entrada em vigor da ICVM 554, que alterou, entre outras, a Instrução CVM 539, a qual dispõe sobre o dever de verificação da adequação dos produtos, serviços e operações ao perfil do cliente".

A nova classificação da Anbima tem como principal objetivo facilitar o processo de decisão de investimento e permitir uma adequada comparação entre os produtos.

Assim, o novo modelo partirá de três níveis, que guiarão a escolha dos produtos, tanto do lado dos distribuidores, consultores, quanto para os próprios investidores. O primeiro nível irá refletir a classe de ativos; o segundo o tipo de gestão e riscos e o terceiro relaciona-se às principais estratégias.

Entre as classe de ativos, que constam no nível 1, estão Renda Fixa, Ações, Multimercados e Cambial. Escolhida a classe, parte-se, assim, para o próximo nível. Por exemplo, se a escolha for por um fundo de renda fixa, no nível 2, que contêm os tipos de estratégia, o investidores poderão optar entre as categorias simples, passivo, ativo baixa duração/média duração/alta duração/livre duração e investimentos no exterior.

Vencido esse nível faltará a escolha da subcategoria, que na classe de renda fixa são: renda fixa simples, índices, soberano/grau de investimento/crédito livre e, por fim, investimento no exterior/dívida externa.

Um dos objetivos da Anbima com a nossa classificação é que a escolha do produto seja feita de acordo com a necessidade futura de capital, se será de curto, médio ou longo prazo, o que direcionará para uma escolha adequada, com custos compatíveis.

Tudo o que sabemos sobre:
Anbimafundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.