Lavagem de dinheiro era feita em minimercado

Por trás das gôndolas de cereais, latarias e conservas, o Minimercado Botafogo, insuspeito estabelecimento situado em Campinas, guardava um segredo do crime: a lavagem de dinheiro ilícito da sonegação. Perícia realizada por técnicos da Fazenda estadual revela que em 10 meses o Botafogo pulverizou R$ 3,4 milhões. O Ministério Público de São Paulo está convencido de que o mercadinho girava grandes somas ilegalmente amealhadas pela organização criminosa.

, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2010 | 00h00

Os promotores assinalam que o Botafogo era o ponto central do esquema, mantendo negócios com outras empresas que nem sequer atuam no ramo. Um indício da ocultação é o grande número de cheques sacados em dinheiro no caixa, somando R$ 3,4 milhões de 2 de janeiro a 15 de outubro de 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.