Lavagna afirma que a pobreza diminuiu na Argentina

O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, anunciou nesta terça-feira que a pobreza e a indigência - depois de atingirem o recorde histórico de 55% da população em outubro de 2002 - foram reduzidas para 46% no primeiro trimestre deste ano. Em 1974 apenas 6% da população era pobre.Dentro da população pobre, os indigentes chegaram à metade do grupo em plena crise, no governo do ex-presidente Eduardo Duhalde, quando constituíram 25,8% em 2002. Atualmente 16,3% dos argentinos estão nessa categoria, que implica em não conseguir o volume suficientes de calorias para estar alimentado.Parte da redução da pobreza foi conseguida através da reativação da economia que saiu em 2003 de cinco anos seguidos de recessão, a maior da história argentina. A diminuição também foi obtida por meio dos subsídios a 2,2 milhões de pais e mães de família. Os beneficiados pelos subsídios (US$ 50 mensais) não são obrigados a realizar trabalhos comunitários.O presidente Néstor Kirchner afirmou que os dados sobre a redução da pobreza mostram "um caminho muito positivo". Ele sustentou que a recuperação da economia e os investimentos públicos conseguirão "a consolidação do país".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.