Lavagna anuncia fim do imposto do cheque na Argentina

O ministro de Economia, Roberto Lavagna, anunciou, hoje, o fim do imposto cobrado pelas transações financeiras de conta corrente para aplicações em prazo fixo e vice-versa. O governo vai deixar de arrecadar 240 milhões de pesos anuais (US$ 1 = 2,96 pesos) com a eliminação do imposto mas Lavagna acredita que, com essa medida, as operações de prazo fixo ficarão mais atraentes. O fim do imposto ao cheque foi decidido em reunião, nesta manhã, entre o ministro Lavagna e o presidente Néstor Kirchner.A alta liquidez do sistema financeiro argentino está apoiada no enorme volume de depósitos concentrados em poupanças e contas correntes. Para pessoas físicas ou jurídicas que realizavam a transferência de fundos destas contas para prazo fixo, o imposto cobrado pelo débito era de 0,4% e de 0,6% para o crédito. Por causa do imposto cobrado nas duas pontas da operação mais as baixas taxas de juros das aplicações com prazo de 30 dias, o pequeno ou grande investidor desistia de ter um prazo fixo. Agora, o governo acredita que a eliminação do imposto poderá estimular as aplicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.