Lavagna descarta pagamento de juros vencidos aos credores

O ministro de Economia, Roberto Lavagna, negou hoje que a proposta final de reestruturação da dívida incluirá o pagamento de juros vencidos, como vem especulando a imprensa nacional e alguns analistas. Perguntado por um canal de televisão local se os juros serão pagos, Lavagna respondeu categoricamente que "não", completando que não há ninguém no governo, nem no Ministério de Economia que apóie essa idéia. Ainda sobre a oferta que será apresentada dentro de 50 dias, o ministro confirmou que a mesma contempla um pagamento adicional relacionado ao crescimento do PIB. "Efetivamente, sempre houve a idéia de recuperar um valor adicional dos credores (ligado) ao crescimento argentino. Deixando uma parte para melhorar e que recupere um valor adicional. Isso está na oferta que a princípio foi recebida com pouco entusiasmo, mas que agora tem mais adeptos porque eles vêem que o país tem uma capacidade de crescimento importante", explicou Roberto Lavagna. Sobre as negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para a aprovação da segunda revisão de metas, o ministro comentou: "Nove de março é um dia importante porque há um vencimento de magnitude (US$ 3,1 bilhões), há uma negociação em curso que tem sua complexidade, mas hoje lhe diria que estamos melhor que há duas semanas". Segundo Lavagna, a reunião que teve em Miami com a cúpula do FMI "foi muito longa, intensa, boa, e se abriu um espaço, ao iniciar essa semana, para fechar a negociação". "Há uma boa vontade de (Horst) Köhler (diretor gerente do FMI), e estamos trabalhando com a idéia de que há possibilidades de chegar a um acordo", concluiu com otimismo sobre a aprovação da segunda revisão de metas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.