Lavagna diz que Argentina crescerá mais que 3,6% este ano

O Ministro de Economia da Argentina, Roberto Lavagna, afirmou que o país crescerá mais que 3,6% em 2003. Lavagna aproveitará a visita da missão do FMI, a partir da próxima segunda-feira, para fazer as primeiras revisões do acordo assinado em janeiro passado. Sem precisar qual será a taxa de crescimento do país, o ministro anunciou que revisará a meta, anteriormente prevista em 3,6%, porque o "país crescerá mais que isso". Ele justifica que isso se deve à revisão que será feita nas metas de inflação e do câmbio, que serão menores do que as estimadas no acordo. "O crescimento de dezembro e janeiro foi importante, permitindo o ajuste dos números para cima", afirmou Lavagna.O ministro explicou que a taxa será menor do que a projetada pelo JP Morgan, de 4,5%. "A taxa será menor do que as projeções de alguns institutos, bancos e (agências) qualificadoras. É bom que os setores privados tenham uma previsão de crescimento maior do que a que tem o governo, mas preferimos a prudência", disse Lavagna. A meta de 22% de inflação para o consumidor deverá ser revisada para 20%, enquanto que o câmbio em 3,85 pesos será mudado para 3,40 pesos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.