seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

LCA compra MCM e consolida liderança

Consultoria que tinha Luciano Coutinho como um dos sócios passa a controlar a concorrente, do ex-diretor do BC José Julio Senna

LEANDRO MODÉ, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2013 | 02h11

A LCA Consultores, que tinha no quadro de sócios o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, acertou a compra da MCM Consultores, integrada, entre outros, pelo ex-diretor do Banco Central (BC) José Julio Senna. Com a aquisição, a LCA consolida a liderança do mercado de consultorias econômicas no País.

Embora não haja rankings formais sobre o tamanho dessas empresas, profissionais do ramo estimam que a LCA já vinha liderando o faturamento no setor há alguns anos.

As duas empresas disputam, principalmente, o mercado de análises macroeconômicas. Entre seus concorrentes estão a Tendências Consultoria Integrada, do ex-ministro da Fazenda Mailson da Nóbrega e do ex-presidente do BC Gustavo Loyola, a MB Associados, do ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda José Roberto Mendonça de Barros, a Rosenberg & Associados, além da AC Pastore & Associados, do também ex-presidente do BC Affonso Celso Pastore.

O valor do negócio não foi divulgado, mas, segundo uma nota enviada pelas duas consultorias em resposta a perguntas feitas pelo Estado, não houve troca de participação acionário.

"Os cinco sócios principais da LCA, em conjunto, adquiriram em dinheiro a maioria das cotas da MCM", afirma o texto.

Ainda segundo a nota, as duas empresas manterão seus nomes e continuarão atuando de forma independente. "As opiniões e análises de cada consultoria serão distintas, a liderança técnica e editorial segue com identidade própria, com seus produtos preservados, além de equipes e instalações físicas distintas", afirma o texto.

Na MCM, a direção técnica e editorial permanecerá sob a responsabilidade do economista Cláudio Adilson Gonçalez.

A LCA e a MCM explicaram ainda que "o objetivo da operação é ganhar maior eficiência e escala por meio do compartilhamento de funções de gestão e administração das duas consultorias". "A busca dessa eficiência operacional e administrativa será reinvestida em excelência no serviço ao cliente", afirmaram.

Em São Paulo, a MCM deixará seu escritório, localizado na Rua Bela Cintra, nos Jardins, e se mudará para a sede da LCA, localizada no Pacaembu, em frente ao estádio de futebol. A MCM também tem escritório no Rio de Janeiro, onde fica, por exemplo, Julio Senna.

Juntas, a LCA e a MCM terão mais de 100 consultores. Além da produção de estudos e relatórios voltados à área macroeconômica, as duas têm investido em outros segmentos.

De uns anos para cá, a LCA vem ampliando a área que elabora trabalhos setoriais, voltados para empreendedores que querem investir ou ampliar investimentos em segmentos específicos da economia, como automóveis, alimentos e bebidas e imobiliário, entre outros.

Outro investimento recente da LCA é a área batizada de economia do direito. Esse segmento da consultoria produz análises com foco na parte jurídica dos negócios empresariais.

Luciano Coutinho desligou-se da LCA em 2007, quando foi indicado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva para comandar o BNDES.

Criada em 1990, a MCM destaca-se pelas análises macroeconômicas e também políticas. O cientista político Amaury de Souza, que morreu em 2012, era um dos profissionais da consultoria nessa área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.