LDC compra fábrica da Cocamar no Paraná

A Louis Dreyfus Commodities (LDC) reagiu ao avanço das concorrentes no setor de produção de suco de laranja no Brasil e fechou ontem a aquisição da planta de produção da bebida da Cocamar em Paranavaí (PR). A unidade, a primeira do Paraná, iniciou a operação em 1994 e tem capacidade para processar 7 milhões de caixas de 40,8 quilos da fruta por safra, com a possibilidade de dobrar esse volume. O valor do negócio não foi revelado pelas empresas.

GUSTAVO PORTO, RIBEIRÃO PRETO, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2012 | 03h04

A LDC informou que fará obras para melhorar a logística de exportação da unidade. Segundo Henrique Freitas, diretor da divisão de citros da LDC, a companhia fará adaptações na estrutura de armazenamento, estocagem e escoamento do suco de laranja concentrado e congelado (FCOJ) na unidade. Atualmente, a estrutura da planta permite apenas o armazenamento do FCOJ em tambores e a exportação da bebida é feita pelo porto de Paranaguá (PR).

"O que pensamos é fazer algumas adaptações para o embarque em caminhões-tanque, para que possamos utilizar nossa estrutura de exportação a granel em navios a partir do Porto de Santos (SP)", disse Freitas. "Entre as melhorias está a construção de tanques pequenos de armazenamento do suco na unidade", completou.

Freitas confirmou ainda que, além da aquisição da unidade, LDC e Cocamar assinaram um contrato de fornecimento de laranja por meio dos cooperados por dez anos para a produção de suco na unidade. Apesar de a fábrica ter capacidade para 7 milhões de caixas de laranja por safra, processou apenas 6 milhões em 2011/2012.

"Esperamos chegar à capacidade máxima de processamento em um curto prazo. Além disso, a região tem um potencial agrícola muito bom para o cultivo de laranja e poderemos, no futuro, ampliar a unidade", disse.

Produção maior. Com a nova planta, a LDC chega a quatro unidades produtoras de suco de laranja no País - as três outras ficam nas cidades paulistas de Matão, Bebedouro e Engenheiro Coelho -, e com uma capacidade de processar em torno de 80 milhões de caixas de laranja por safra.

Na safra 2011/12, encerrada recentemente, as três plantas da LDC processaram cerca de 70 milhões de caixas de laranja, um aumento de 90% sobre o volume processado em 2010/11.

Segundo André Roth, presidente da LDC na região da América Latina que engloba o Brasil, a elevação no processamento ocorreu pelo crescimento da oferta da fruta na safra, uma das maiores da história.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.