Leader chega a SP com loja virtual

A quase sexagenária Leader, rede varejista especializada em artigos de vestuário para a classe C, baseada em Niterói, no Estado do Rio de Janeiro, estreia no dia 10 do mês que vem no comércio eletrônico e também num novo segmento de mercado de consumo: os eletroportáteis. Conforme apurou a repórter Márcia De Chiara, com a nova ferramenta de vendas, a empresa pretende levar sua marca a mercados consumidores importantes como São Paulo, onde não tem lojas físicas.

CLAYTON NETZ, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2010 | 00h00

Hoje, a empresa fluminense está instalada em oito Estados (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe e Bahia) com 45 lojas físicas. O centro de distribuição da operação online será na Grande São Paulo, em Barueri, de onde sairão todos os produtos vendidos para o restante do País.

A companhia investiu R$ 20 milhões na loja virtual que vai comercializar cerca de 5 mil itens entre artigos de cama, mesa e banho; utilidades domésticas; calçados esportivos; brinquedos e eletroportáteis. "Venda de artigos de vestuário online, só em 2011'', prevê Vicente Roberto Criscio, diretor geral da operação de comércio eletrônico da empresa.

O principal obstáculo para comercializar vestuário na loja virtual é a falta de um padrão de tamanho para que o cliente não tenha problemas futuros. Exceção à regra são os calçados esportivos, porque seguem um padrão.

Segundo Criscio, além do boom das vendas online para a classe C, que já responde por 35% do comércio na internet, pesou na decisão tomada pela Leader ter uma loja virtual o resultado de uma pesquisa feita com seus clientes.

A enquete revelou, por exemplo, que 30% dos entrevistados são consumidores "modernos". Isto é, compram por impulso e estão conectados às redes sociais. "Grande fatia desse público pertence às classes A e B", diz .

Um dos diferenciais da nova loja virtual será a presença de um ombudsman para representar o cliente dentro da organização. Para Criscio, uma das principais dificuldades do mundo online é a falta de humanização nas relações com o cliente. "Existem sites onde mal se consegue encontrar o número de telefone da central de atendimento ao cliente", lembra.

A expectativa de desempenho do novo negócio é otimista. A Leader calcula que o valor da venda unitária na internet gira em torno de R$ 200, duas vezes e meia o tíquete médio das lojas físicas. A meta da empresa é que o comércio online responda por 30% do seu faturamento em cinco anos.

Em 2009, a rede teve uma receita de R$ 900 milhões. E, neste ano deve completar o primeiro bilhão de reais.

"Não podemos permitir que a Grécia se transforme num segundo Lehman Brother"

Wolfgang Schäuble

MINISTRO DAS FINANÇAS DA ALEMANHA, SOBRE OS ESFORÇOS PARA EVITAR A QUEBRA DA ECONOMIA GREGA

CONSTRUÇÃO CIVIL

Cresce número de empresas bilionárias

Estudo realizado pela Dextron Management Consulting, especializada em estratégias de negócios, demonstra o impacto do boom imobiliário sobre as empresas do setor. Segundo a pesquisa, o boom foi provocado pelo movimento de fusões e aquisições - foram 78 entre 2006 e 2009-, e pela captação de recursos para investimentos, especialmente os voltados para a população de baixa renda. O estudo mostrou que em 2006 apenas a Cyrela faturava mais de R$ 1 bilhão por ano. Três anos depois, o número de bilionárias aumentara para oito, incluindo Gafisa, PDG Realty, Brookfield, MRV, Agre, Rossi e Even. Com isso, o faturamento total do G-8 da construção, que era de R$ 4 bilhões, em 2006, passou a R$ 20 bilhões, em 2009.

PROMOÇÃO

Soft Tacos dará descontos por mérito a franqueados

A rede paranaense de comida mexicana Soft Tacos, do empresário Dilson Silva, descobriu com pouco tempo no mercado que o consumidor brasileiro gosta de sua comida mexicana com pimenta a gosto. Criada em 2006, em Curitiba, a rede cresceu rapidamente e já tem 17 lojas em nove estados e no Distrito Federal. Agora, a Soft Taco decidiu incentivar seus franqueados a melhorar a gestão das unidades. Com base na avaliação do desempenho das lojas, a rede vai conceder desconto no pagamento dos royalties. O colocado em primeiro lugar receberá 50% de abatimento no valor da franquia nos três primeiros meses de 2010. O segundo e terceiro colocados receberão descontos de, respectivamente, 30% e 20% . O plano de Dilson é duplicar o tamanho da Soft Tacos, para 35 lojas, atingindo um faturamento de R$ 14 milhões este ano.

PESQUISA

Fim da redução do IPI afeta intenção de consumo em SP

O fim da redução do IPI para automóveis, linha branca e móveis foi um dos motivos influenciaram negativamente a disposição de compras dos consumidores paulistas no mês de abril. Segundo a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio), a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) caiu de 138 pontos em março para 131,1 neste mês. No entanto, de acordo com Guilherme Dietze, assessor econômico da Fecomércio, a queda de 4,38%, embora indique que o consumidor paulista considere o momento como menos propício para o consumo, não pode ser considerado um desastre. "Apesar dos sete itens que compõem o ICF terem registrado queda, nenhum deles marcou menos de 100 pontos em uma escala que varia de 0 a 200", afirma Dietze.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Novartis faz festa com trabalho voluntário

Esta terça-feira será uma espécie de feriado com trabalho para os cerca de 100 mil funcionários da Novartis, espalhados por 140 países: por decisão da direção mundial da farmacêutica, eles poderão dedicar uma jornada inteira às comunidades em que vivem e atuam, prestando serviço voluntário. A iniciativa, criada para comemorar o aniversário da empresa, foi batizada de Dia da Parceria com a Comunidade e deverá beneficiar instituições em São Paulo(SP) e Resende(RJ), além de Londrina e Cambé, no Paraná. Com uma receita mundial de US$ 44,3 bilhões, a Novartis emprega 3 mil funcionários no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.