Leão prega uma peça em 150 mil contribuintes

O Leão pregou uma peça em 150 mil contribuintes. Por um problema técnico, eles foram incluídos no último lote de restituição do Imposto de Renda antes mesmo de suas declarações terem sido analisadas pelo Fisco. O problema foi detectado antes de os nomes inclusos no lote serem colocados na Internet, mas os contribuintes receberam o AR (Aviso de Restituição) em casa via correio. Muitos foram ao banco receber o dinheiro e bateram com a cara na porta. Segundo a Receita Federal, o problema aconteceu porque um arquivo com os nomes dos contribuintes foi enviado por engano para Banco do Brasil. Esse arquivo continha os nomes dos contribuintes e os valores que deveriam ser restituídos e depositados nas contas. O Banco do Brasil passou, então, a avisar os contribuintes de que as restituições estavam disponíveis. Ao chegar nas agências, os contribuintes eram informados de que não tinham nada a sacar. A Receita Federal informou que o problema já foi resolvido, mas não deu detalhes sobre se os contribuintes colocados por engano no quinto lote de restituições estarão automaticamente no próximo lote (em novembro). De acordo com o Fisco, o disquete foi enviado para o Banco do Brasil dois dias antes de os nomes dos contribuintes terem seus nomes incluídos na Internet, o que deu tempo para que o erro fosse detectado e os nomes não fossem colocados na rede de computadores. De qualquer maneira, neste mês, a Receita não colocou à disposição dos contribuintes as informações sobre restituição na Internet uma semana antes da data para liberação do lote, como normalmente faz. A restituição, prevista para dia 15 passado, só estava disponível para consulta um dia antes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.