coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Lei agrícola americana é mal recebida na Argentina

A nova legislação agrícola dos Estados Unidos, a Farm Bill, aprovada ontem pelo Senado americano, também foi mal recebida na Argentina. A União Européia já informou que poderá questionar o aumento das subvenções americanas à agricultura na Organização M undial de Comércio (OMC). O governo australiano informou há pouco que o país deve adotar medidas punitivas contra produtos fabricados nos Estados Unidos. O texto da Farm Bill precisa ainda ser aprovado pelo presidente Bush."O aumento do subsídio ao setor agrícola é ruim para os países com tradição emagricultura. Quando os Estados Unidos decidem elevar a proteção aos seus produtores,o estrago mundial é ainda maior, pois os americanos investem muito em subsídios",afirma o analista do departamento de mercados agroalimentares da Secretaria deAgricultura, Pecuária, Pesca e Alimentação da Argentina, Rubens Ciani. A nova Farm Billdestina US$ 82,8 bilhões em subsídios a safras e programas de conservação, aumentode 80%. Mesmo no que se refere à redução do preço mínimo de garantia para a soja produzidanos Estados Unidos, a nova Farm Bill é ruim para a Argentina. De acordo com o textoaprovado ontem pelo senado americano, os EUA reduziram o preço mínimo ("loan rate")pa ra a soja de US$ 5,26/bushel para US$ 5/bushel. O diretor do departamento de mercado agroalimentares da secretaria, Carlos Pouiller, explica que a redução do preço mínimo nos EUA vai fazer todos os demais países produtores mundiais plantarem maisoleagin osa para fugir dos "preços subsidiados dos Estados Unidos". "Se os demaisprodutores mundiais, incluindo no grupo Brasil e Argentina, reduzirem a área de milho eaumentarem a área de soja, os preços continuarão em baixa", afirma Pouiller. A Argentina é g rande produtora mundial de soja, com colheita de cerca de 30 milhões de toneladas na safra 2001/02. Para o milho, o governo americano elevou o preço mínimo de US$ 1,89 para US$ 1,98 por bushel.

Agencia Estado,

09 de maio de 2002 | 16h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.