Lei das S.As.: ação ordinária já é beneficiada

O movimento de migração dos investimentos para as ações ordinárias (ON, com direito a voto) já começou. Desde a aprovação da Lei das Sociedades por Ações pela Câmara dos Deputados, na quarta-feira da semana passada, a diferença de preços entre os dois tipos de papéis - ON e PN (preferenciais, sem direito a voto) está diminuindo. Esse processo foi sentido principalmente pelo setor de telecomunicações, já que existe grande expectativa de consolidação e aquisições entre as empresas da área. Com as novas regras da Lei das S.As., sempre que houver troca de controle, os detentores de ações ordinárias serão beneficiados pelo "tag along" - direito que garante aos acionistas minoritários detentores de ações ON, no caso de venda da companhia, uma oferta que represente 80% do valor pago pelos controladores.Pesquisa elaborada pela Agência Estado, com base nos dados da Economática, mostra que a diferença das cotações entre ordinárias e preferenciais no segmento de telecomunicações já caiu 45% em pouco mais de uma semana. O levantamento considerou os papéis das 13 principais empresas do setor negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).O caso de maior destaque é Brasil Telecom Participações. Em 27 de março, um dia antes da aprovação da lei, as ações ordinárias da companhia negociavam com desconto de 6,03% em relação às preferenciais. Agora, a relação se inverteu. No dia 4 de abril, as ações ordinárias fecharam valendo 3,46% mais do que as preferenciais. Enquanto Brasil Telecom PN recuou 2,72% no período analisado, as ações ON da Brasil Telecom avançaram 7,11% na Bovespa, sinalizando uma procura maior por ações ordinárias.

Agencia Estado,

09 de abril de 2001 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.