Lei pode melhorar condição do segurado do INSS

No próximo mês, o ministro da Previdência Social, Waldeck Ornélas, envia ao Congresso Nacional projeto de lei que vai garantir ao segurado a condição de filiado à Previdência Social, mesmo que ele deixe de contribuir por um período máximo de dois anos. Hoje esse período é fixado em lei. Ornélas explicou que o segurado, que deixou de contribuir por qualquer motivo para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), poderá retornar ao sistema quando puder e completar o que falta para poder ter acesso à aposentadoria. Proposta da Força Sindical para a reforma previdenciária O ministro falou da mudança durante audiência concedida à Força Sindical e à nova entidade vinculada a ela, o Sindicato Nacional dos Aposentados. O presidente da Força, Paulo Pereira da Silva, entregou ao ministro a proposta da entidade para a retomada da discussão sobre a reforma da Previdência Social. A Força Sindical defende que a Previdência seja única, tanto para trabalhadores da iniciativa privada quanto para o setor público.Ornélas gostou do apoio da Força Sindical para "tornar todos iguais perante à Previdência Social", mas preferiu não dar qualquer opinião sobre a mudança da forma de contribuição. Ele ponderou para os sindicalistas que a reforma previdenciária, no que diz respeito ao INSS, está praticamente concluída, mas que falta muito para ser feito na previdência do setor público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.