Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Leilão da ANP em 2017 deve excluir conteúdo local no petróleo

Colegiado avalia mudanças em favor de petroleiras, que poderão ter liberdade para decidir sobre importação de bens

Fernanda Nunes / RIO, O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2016 | 05h00

Motivo de embate entre a indústria fornecedora brasileira e petroleiras, o conteúdo local deve ser excluído do próximo leilão a ser realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) – a quarta rodada de áreas marginais, prevista para 2017, sem data definida. A agência aguarda posição do governo até 13 de dezembro sobre a exigência de aquisição de volume mínimo de produtos e serviços no Brasil. A única certeza é que o conteúdo local não será critério de definição de vencedores. A dúvida é se alguma política de incentivo à indústria nacional estará prevista no edital.

A decisão será do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que tem reunião marcada para 8 de dezembro. Presidido pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, o colegiado vai avaliar uma serie de mudanças no setor de petróleo que devem tornar as regras de atuação no País mais flexíveis e facilitar a atração de investidores. Uma nova política de conteúdo local, mais favorável às petroleiras, que reivindicam liberdade para importação de bens, está na pauta.

Em audiência pública para detalhar a quarta rodada, de menor porte, voltada para pequenas e médias petroleiras, o superintendente de Promoção de Licitações da ANP, Marcelo Castilho, disse que espera para até o dia 13 a publicação de resolução do CNPE definindo as diretrizes de conteúdo local. O edital e o modelo de contrato devem ser divulgados no dia 15.

Se a definição for pela total exclusão da política de conteúdo local, será a primeira concorrência de áreas exploratórias promovida pela ANP, desde 2002, em que as petroleiras terão liberdade para se posicionar sobre a aquisição de equipamentos no Brasil. Há 13 anos a agência define porcentuais mínimos de aquisição de bens e serviços em seus leilões.

Mais conteúdo sobre:
ANPBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.