Leilão de 4G deve ocorrer até agosto, diz Paulo Bernardo

O Ministério das Comunicações admite que pode haver algum ajuste na data do leilão de concessão da faixa de 700 MHz para transmissão de dados de quarta geração, o 4G. No entanto, o ministro Paulo Bernardo afirmou que a realização do leilão dificilmente passará de agosto. "A data prevista é meados de agosto. Evidente que podemos fazer algum ajuste, mas dificilmente vai sair do mês de agosto. O pessoal acha que deve ser lá pelo dia 15 ou dia 18 de agosto", contou Bernardo, após participar do seminário internacional A internet das coisas: Oportunidades e perspectivas da nova revolução digital para o Brasil, promovido pelo BNDES.

DANIELA AMORIM E VINICIUS NEDER, Agencia Estado

14 de maio de 2014 | 13h12

O ministro lembrou que a previsão de arrecadação do novo leilão 4G feita pelo Ministério da Fazenda é de R$ 7,5 bilhões, mas disse que o valor pode ser maior, caso haja concorrência. "Isso é uma previsão. Vamos fazer todos os cálculos de novo antes de publicar o edital. Foi estipulado um preço mínimo pelos lotes, claro que leilão é leilão, pode ser que haja uma concorrência maior e aumente a arrecadação prevista", ressaltou.

Quanto às críticas sobre a ausência de obrigações de cobertura para as operadoras interessadas, Bernardo afirmou que o edital prevê contrapartidas como indenizações a canais de televisão que terão que liberar a faixa de 700 MHz para o 4G.

"As empresas todas em qualquer hipótese vão ter obrigações para desocupar faixa e indenizar investimentos que vão ter que ser feitos pelos setor de televisão, isso inclusive vai ser expresso em números. No edital, vai ser citado quanto que vai ser o limite do pagamento", apontou o ministro das Comunicações.

Investidores

Bernardo contou que viaja ao exterior em junho para conversar com possíveis investidores para o leilão de 4G. A delegação brasileira passará por Estados Unidos e Europa, por sugestão da própria presidente Dilma Rousseff.

"Nós vamos fazer uma viagem, conversei até com a presidente (Dilma Rousseff), falei que ia fazer, ela achou que era importante não só ir para os Estados Unidos como para a Europa também. Estou pensando em fazer uma única viagem, aí a gente vai às duas regiões de uma vez", contou Bernardo.

Diante das especulações da entrada de novas operadoras estrangeiras no País interessadas na nova faixa de 4G, Bernardo confirmou que tem mantido conversas com empresas interessadas no leilão, mas não quis revelar nomes. "Estamos conversando informalmente com muita gente. Mas não vamos divulgar nada", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
telefonialeilão 4GPaulo Bernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.