Leilão de Belo Monte pode ocorrer em novembro, afirma Lobão

Caso contrário, afirma o ministro, início das obras fica prejudicado e deverá ser atrasado em um ano

KELLY LIMA, Agencia Estado

29 de setembro de 2009 | 12h43

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou que o leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte vai acontecer ainda este ano, possivelmente no final de novembro. Segundo ele, "todas as construtoras do País e outros agentes financeiros estão interessadas na obra", que vai ter participação entre 40% e 49% da Eletrobrás. "Como serão feitas estas parcerias ainda não definimos."

 

Veja também:

linkLobão vê 'forças demoníacas' que impedem hidrelétricas

"Vai depender também do interesse dos sócios. Só queremos garantir competitividade e para isso tem que haver pelo menos dois consórcios, mesmo que cada um tenha uma controlada da Eletrobrás", disse, lembrando ainda que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai apoiar "fortemente a parte financeira do projeto".

Ainda segundo Lobão, se o leilão de Belo Monte não ocorrer em novembro, o início das obras fica prejudicado e deverá ser atrasado em pelo menos um ano. "Há uma janela hidrológica que impede o início das obras antes disso, por conta de chuvas na região no período. E não podemos nos dar ao luxo de atrasar em um ano a construção desta usina, sob o risco de termos que acionar térmicas, que são mais poluentes", disse.

Já o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, disse que é aguardada para semana que vem a declaração de reserva de disponibilidade hídrica da Agência Nacional das Águas (ANA) com relação à usina de Belo Monte. "Com este documento teremos um bom avanço para leiloar a usina até o final de novembro", disse Tolmasquim.

Segundo ele, a partir desta licença, só faltará o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) se pronunciar. "Estamos bastante confiantes. Todos os percalços são contornáveis e sabemos que a usina vai sair. Só temos que ficar bastante atentos, porque com um empreendimento deste porte podem ocorrer manifestações contrárias até em cima da hora, pouco antes do leilão", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
LobãoBelo Monteleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.