Leilão de energia negocia 110% da demanda para 2012

O presidente da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Antônio Carlos Fraga do Machado, afirmou que o quinto leilão de energia nova, realizado hoje, contratou 110% da demanda declarada pelas distribuidoras para o ano de 2012. "O volume de 2,312 mil MW representa 110% da demanda das distribuidoras. As concessionárias haviam declarado a necessidade de comprar de 2,11 mil MW médios", explicou o executivo, em entrevista coletiva depois do encerramento da licitação, denominada A-5.A contratação de energia acima da necessidade do mercado é resultante da sistemática do leilão. Pelas regras da disputa, a capacidade da última usina passível de contratação é vendida integralmente mesmo que esse volume supere a quantidade de energia necessária para fechar o balanço entre oferta e demanda. "Essa energia adicional fornece segurança ao sistema", afirmou o ministro interino de Minas e Energias, Nelson Hubner.Nesse leilão, 10 dos 18 empreendimentos pré-qualificados comercializaram energia. Segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, cálculos preliminares indicam que esses projetos demandarão investimentos de R$ 11 bilhões nos próximos cinco anos. Outro ponto positivo destacado por Machado foi o fato de que a licitação contratou todas hidrelétricas botox (projetos concedidos no modelo anterior, mas que estavam descontratados). "Isso significa que terminou a etapa de transição entre o modelo anterior e o novo modelo do setor elétrico", disse o executivo.Apesar do resultado "bastante satisfatório" deste leilão, nas palavras de Hubner, a licitação da hidrelétrica de Santo Antônio, do rio Madeira, ocorrerá ainda este ano. O ministro disse que o planejamento do Ministério de Minas e Energia (MME) já considerava que pouca energia do projeto entraria em 2012. Adicionalmente, Tolmasquim afirmou que a expectativa do governo é que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprove entre segunda e terça-feira o edital do leilão da usina.

WELLINGTON BAHNEMANN, Agencia Estado

16 de outubro de 2007 | 17h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.