Leilão de hoje do Tesouro dos EUA não aumenta a dívida

O Departamento do Tesouro dos EUA disse que as vendas de títulos anunciadas hoje não vão acrescentar nenhuma nova dívida e não vão ultrapassar o limite legal do governo. Segundo o departamento, os leilões vão refinanciar dívidas já existentes. O Tesouro emitiu um comunicado após anunciar vendas programadas para segunda-feira, de US$ 27 bilhões em títulos de três meses e US$ 24 bilhões em títulos de seis meses.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

28 de julho de 2011 | 13h41

O presidente Barack Obama e líderes do Congresso estão tentando chegar a um acordo sobre a elevação do limite de endividamento do país. Autoridades do Tesouro já alertaram que os EUA podem entrar em moratória a partir do dia 2 de agosto, se o Congresso não elevar o teto da dívida, atualmente em US$ 14,29 trilhões.

O comunicado diz que "na próxima quinta-feira, US$ 87 bilhões em títulos do Tesouro vão vencer". "Os leilões de títulos anunciados hoje vão permitir que o Tesouro refinancie esses bônus que estão vencendo, e não vão acrescentar nenhuma nova dívida ao limite legal", afirma. "Esses leilões vão refinanciar dívidas existentes, em vez de acrescentar novas dívidas ao nosso balanço". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
crise da dívidaleilãoTesouroEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.