Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Leilão de portos arrecada R$ 219 mi e supera as expectativas, segundo ministro

Consórcios formados por Raízen, Ipiranga e BR Distribuidora levaram todas as áreas leiloadas: três no porto de Cabadelo, na Paraíba, e uma no Porto de Vitória; ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, comemorou resultado

Fabiana Holtz e Luciana Collet, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2019 | 13h34

O leilão de portos realizado na manhã desta sexta-feira, 22, na B3, em São Paulo foi vencido por dois consórcios diferentes formados pelos mesmos grupos econômicos: Raízen, Ipiranga e BR Distribuidora. O total arrecadado em outorgas foi de R$ 219,5 milhões e superou as expectativas do governo, segundo o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

As três áreas leiloadas no porto de Cabadelo, na Paraíba foram arrematadas pelo Consórcio Nordeste, formado pelas três grandes distribuidoras de combustível. A área AI-01, voltada para a movimentação e armazenagem de graneis líquidos combustíveis, foi arrematada por R$ 6,021 milhões pela área. A área AE-10 obteve valor de outorga de R$ 18,005 milhões e a área AE-11 foi arrematada por R$ 30,503 milhões. O valor mínimo a ser oferecido pelas áreas era de R$ 1 e a concessão é de 25 anos.

No Porto de Vitória (ES) o Consórcio Navegantes Logística, formado pelas mesmas empresas, arrematou a área VIX30 por R$ 165 milhões. O edital para arrendamento por 25 anos prevê um investimento de R$ 128,2 milhões para a ampliação da capacidade do porto na movimentação de combustíveis em 1,76 milhão de toneladas/ano.

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas destacou após o evento que a disputa superou as expectativas. Segundo ele, a disputa reafirma a confiança do mercado na condução da política econômica do atual governo. 

"Há grande otimismo do mercado, o resultado dos leilões comprova isso", disse a jornalistas. "Saímos entusiasmados, daqui a duas semanas tem mais", completou, referindo-se ao leilão de arrendamentos portuários nos Portos de Belém e Vila do Conde.

Apenas um oponente compareceu ao leilão e disputou dois dos terminais no Porto de Cabedelo, sem sucesso: O Terminal de Armazenagem da Paraíba Limitada (Teapa). "Terminais portuários têm uma característica própria... Não esperávamos grande quantidade de players", disse o ministro.

Embora o governo tenha arrecadado muito mais do que o inicialmente estimado, tendo em vista que os valores iniciais de outorga eram de R$ 1,00 por terminal, Freitas disse que "ágio não é nosso objetivo, não é para auferir outorga, mas para impulsionar a logística", disse, salientando que, com o leilão de hoje, a logística de distribuição de combustíveis vai ser impulsionada.

O secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério de Infraestrutura, Diogo Piloni, salientou que os arrendamentos propiciarão aumento de capacidade, em particular com o terminal de Vitória, uma nova área que receberá investimentos milionários e permitirá crescimento da capacidade. “Ter o sucesso que tivemos nos deixa feliz, porque essa é uma região que sofre inclusive com desabastecimento”, disse. Ele salientou que além de propiciar “investimentos importantes”, os novos contratos trazem segurança jurídica”, acrescentou.

"Estamos perto de divulgar editais de Santos, Paranaguá e Suape"

Tarcísio de Freitas, afirmou ainda que o governo deve apresentar em breve os editais para licitação de terminais em Santos, Paranaguá e Suape. "Estamos muito perto de lançar os editais para Santos e Paranaguá; e Suape está muito perto de sair do Tribunal de Contas da União (TCU)", afirmou durante coletiva de imprensa após a realização do leilão de quatro terminais portuários hoje, na B3.

"Em breve estaremos despejando mais leilões de terminais portuários no mercado", afirmou. No curto prazo, pelas contas de Freitas, seriam nove terminais, considerando os seis previstos para o leilão do próximo dia 05 de abril, nos portos de Belém e Vila do Conde, ambos no Pará.

"Também vamos abrir consulta pública para a BR-181, em Minas, BR- 163, no Pará, BR-153, que liga Goiás ao Tocantins. Estamos trabalhando para dar vasão a carteira que apresentamos para a sociedade", acrescentou .

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.