Leilão de títulos mostra aposta na queda da inflação

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, disse que o resultado do leilão de venda de títulos prefixados (LTNs), realizado hoje, indica que os investidores apostam na queda da inflação. No leilão, o rendimento de alguns papéis chegou a ficar abaixo da taxa básica de juros, a Selic.Segundo Levy, a trajetória de queda da inflação abrirá espaço para a redução dos juros "no momento apropriado". Ele disse que esse espaço será definido "quando a inflação atingir valores mais próximos da meta". O governo trabalha com uma meta de 8,5% para o IPCA deste ano.Levy também destacou o alongamento dos prazos das LFTs, que foram vendidas com vencimento em 2005. Segundo ele, esse é o maior prazo desde o início da crise da economia brasileira no ano passado.FMILevy informou que uma nova missão do FMI chega ao Brasil no início da próxima semana para a terceira revisão do acordo firmado com o governo no ano passado. Com a aprovação da terceira revisão, o Brasil terá direito a sacar mais US$ 10 bilhões, mas o secretário não quis antecipar a decisão do governo. "Não tem razão nenhuma para não sacar, mas decisão será feita caso a caso no momento apropriado", afirmou.Ele evitou comentar a possibilidade de o acordo, que vence no final do ano, ser renovado. Segundo Levy, a vinda da missão ao Brasil será uma oportunidade para conversas sobre a adoção do chamado mecanismo anticíclico na definição da meta de superávit primário (receitas menos despesas, sem contar juros) nas contas do setor público. Com ele, o superávit seria maior em períodos de crescimento da economia e menor nas épocas de enfraquecimento do ritmo de atividade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.