finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Leilão de transmissão atrai 17 nacionais e 4 estrangeiras

Empresas do Brasil e da Espanha confirmaram participação no leilão de concessões de nove linhas de transmissão e quatro subestações que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza hoje, no Rio de Janeiro, em sessão pública conduzida pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Os sete lotes ofertados serão disputados por 17 empresas, que participam individualmente, e quatro consórcios.O direito de disputar as concessões foi confirmado ontem, após o depósito das garantias de proposta na Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), em São Paulo. No grupo dos 21 participantes habilitados para o leilão, 17 são nacionais e quatro espanhóis. Das 28 pré-qualificadas, sete empresas não depositaram as garantias e, portanto, não estão habilitadas para a disputa. São elas: Abengoa S/A (Espanha), ATE II Transmissora de Energia S/A (Brasil), Construtora Queiroz Galvão S/A (Brasil), Alusa Engenharia Ltda. (Brasil), Sendi - Serviços Engenharia e Desenvolvimento Industrial Ltda.(Brasil), Neoenergia S/A (Brasil), Equatorial Energia S/A (Brasil). A Schahin Engenharia S/A (Brasil) não depositou garantias para os lotes C, D, E, F e G, mas permanecerá na disputa nos lotes A e B. Já a empresa Orteng Equipamentos e Sistemas Ltda. (Brasil) não aportou garantias parta os lotes A, B,C e F, mas depositou nos lotes D, E e G.O Consórcio JMFR (J. Malucelli Construtora de Obras - 63% - líder; Fuad Rassi Engenharia e Comércio Ltda. - 37%) ficará fora da disputa nos lotes A, B, C, mas vai poder realizar lances para as concessões dos lotes D, E e G.LeilãoAs concessões que serão leiloadas destinam-se à construção, operação e manutenção de aproximadamente 1.941 quilômetros de novas linhas de transmissão da rede básica a serem construídas em 10 Estados: Alagoas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul, Sergipe e Tocantins. Os empreendimentos entrarão em operação em prazos que variam entre 15 e 21 meses, após a assinatura dos contratos de concessão. Os investimentos necessários foram estimados em R$ 1,051 bilhão.As novas linhas irão reforçar a capacidade de transmissão do Sistema Interligado Nacional (SIN), e possibilitar a geração de cerca de 9.620 empregos diretos nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul. Pelas normas do leilão, serão declarados vencedores quem oferecer a menor tarifa, ou seja, a menor Receita Anual Permitida (RAP) para prestação do serviço de transmissão. Os deságios registrados entre a receita anual permitida prevista no edital e os lances no leilão deverão se refletir no cálculo final das tarifas pagas pelo consumidor.

PAULO R. ZULINO, Agencia Estado

07 de novembro de 2007 | 10h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.