Leilão seria ruim se estivesse vazio, diz Dilma Rousseff

Ministra, no entanto, admite que governo poderia ter arrecadado mais dinheiro se houvesse disputa

Leonardo Goy, Adriana Fernandes e Lu Aiko Otta, O Estadao de S.Paulo

04 de outubro de 2007 | 00h00

Brasília - O governo atenuou ontem o fato de o leilão de subconcessão da Ferrovia Norte-Sul ter tido apenas um interessado, a Companhia Vale do Rio Doce. "O bom resultado foi ver a iniciativa privada entrando no projeto", disse o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento. O ministro negou que o resultado tenha sido frustrante."Por que seria ruim? Seria ruim se estivesse vazio", disse a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, quando perguntada sobre a existência de apenas um concorrente nessa disputa. Nascimento observou que a Vale foi a mais interessada na concessão porque já opera na região. A empresa controla a estrada de ferro dos Carajás, que dá acesso ao Porto de Itaqui, no Maranhão. Qualquer empresa que vencesse a licitação para a Ferrovia Norte-Sul só teria acesso a um porto se obtivesse da Vale a autorização para passar por Carajás."Qualquer outra empresa que vencesse (o leilão) teria que discutir com a Vale o direito de passagem para chegar a Itaqui", comentou o ministro. Nascimento acredita que essa situação reduziu a "pauleira" em torno do leilão, diferentemente do que ocorre, por exemplo, com o leilão de sete trechos de rodovias federais, marcado para a semana que vem. Segundo ele, a vitória da Vale no leilão "dá sinergias" à empresa na malha ferroviária da região. NOVO TRECHOA ministra Dilma Rousseff admitiu que o preço obtido com a concessão, de R$ 1,478 bilhão (preço mínimo), poderia ter sido maior se houvesse mais concorrentes. No entanto, ela se mostrou satisfeita com o resultado."Que sobre dinheiro para a contratação do segundo trecho para que nós concluamos a obra", disse a ministra. Ao participar, ontem pela manhã, do 1º Seminário Nacional de Orçamento Público, Dilma comentou: "Tem gente que diz que é um preço máximo, mas eu acho que é o preço mínimo".Mais tarde, indagada sobre essa declaração, a ministra afirmou que se tratava de uma brincadeira. Ela explicou que a conta que o governo fez para a fixação do preço mínimo foi "bastante consistente". O preço pago pela Vale, disse Alfredo Nascimento, tornará possível a conclusão das obras de construção dos 358 quilômetros para levar a ferrovia até Palmas, no Tocantins. O ministro reiterou a expectativa do governo de que a Ferrovia Norte-Sul chegará à capital do Tocantins em 2009. Nascimento também garantiu que os recursos arrecadados no leilão serão usados integralmente pela estatal Valec para levar a ferrovia até Palmas. "Esse dinheiro está carimbado", afirmou ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.