Lessa diz que TJLP em 9,75% prejudica empresários

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Carlos Lessa, disse nesta terça-feira que a manutenção da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) em 9,75%, no último trimestre desse ano, deve prejudicar a demanda dos empresários por novos empréstimos do banco. "Em princípio, prejudica", reconheceu Lessa, ao participar de assinatura de convênio, em Brasília, com o Ministério da Cultura para a liberação de R$ 5 milhões para a preservação de acervos de museus.Lessa vinha defendendo a redução da TJLP para 8% ao ano para aumentar a demanda por novos investimentos. Mas o Conselho Monetário Nacional (CMN) acabou decidindo, na semana passada, manter por mais três meses a TJLP em 9,75% ao ano devido às expectativas de inflação maior em 2005. "Eu quero abaixar a taxa de juros mas quem controla é o CMN", disse. Segundo Lessa, por uma taxa menor os empresários apresentariam mais projetos ao BNDES. A maioria dos financiamentos do BNDES é corrigida pela TJLP.Desde abril passado, a TJLP está em 9,75%. A TJLP é revista a cada trimestre. Portanto, uma mudança só entraria em vigor em janeiro de 2005. No início do governo Lula, a TJLP estava em 11%, taxa que foi definida ainda durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Depois a equipe do Ministro da Fazenda, Antonio Palocci, elevou a TJLP para 12%, valor mantido de abril até setembro do ano passado. De outubro a dezembro, a TJLP caiu pata 11% e no primeiro trimestre desse ano ficou em 10%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.