Levante militar provoca queda na bolsa filipina

Apesar de chegado ao fim sem maiores conseqüências, ação militar do último final de semana que pretendia depor a presidente Gloria Aroyo, prejudicou o desempenho do mercado filipino nesta terça-feira. Cerca de 300 militares acusaram a presidente de corrupção e ameaçaram explodir um shopping center caso suas reivindicações não fossem atendidas. A bolsa local registrou baixa de 2,51%, liderada por papéis da Philippine Long Distante Telephone Co., que sofreram retração de 3,9%. Taiwan caiu 2,01% com a preocupação dos investidores sobre o setor de alta tecnologia. O Nikkei 225, da bolsa de Tóquio, fechou praticamente estável, em queda de 0,06% em razão de realização de lucros no final do pregão. Já o mercado sul-coreano encerrou o dia em alta de 0,63%. Às 4h30 (horário de Brasília) as demais bolsas do sudeste asiático registravam: Hong Kong: +0,51%; Indonésia: -0,92%; Malásia: +0 26%; Tailândia: -0,77% e Cingapura: -0,53%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.