Levy afirma que Fraga não fez nenhuma revelação extraordinária

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, afirmou hoje que não considerou como crítica a exposição feita ontem pelo ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, sobre a relação da dívida líquida do setor público com o Produto Interno Bruto (PIB). Em seminário no Rio de Janeiro, ontem, Fraga alertou que a alta relação da dívida/PIB em 57% é uma "fragilidade do País" e que o assunto deveria ser tratado com seriedade pelo governo."O Armínio Fraga fez ponderações extremamente adequadas. Ele fez uma observação matemática e disse o que todo mundo acha normal, que é importante nós estarmos trabalhando para essa relação cair. Até aí acho que não teve nenhuma revelação extraordinária nisso", disse.Levy insistiu que não considerou a exposição do ex-presidente do BC como uma crítica ao atual governo. "O ponto da intervenção do Armínio foi de que em 2002 havia o risco de uma crise e a equipe do governo de transição e da equipe passada souberam agir com seriedade, rapidez e firmeza, de tal maneira que essa crise foi evitada", ressaltou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.