Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão
Imagem Adriana Fernandes
Colunista
Adriana Fernandes
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Levy diz que continua trabalhando e chama de 'folhetim' debate sobre sua saída do governo

Após a derrota na meta fiscal de 2016, ministro da Fazenda diz que fala a 'verdade' e que o resto 'I don't care' (eu não me importo)

Adriana Fernandes, O Estado de S. Paulo

16 de dezembro de 2015 | 11h57

BRASÍLIA - Em ritmo acelerado de trabalho, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse por telefone ao Broadcast que continua trabalhando normalmente e afastado do "folhetim" sobre a sua saída do governo. 

Numa rápida conversa com a reportagem, Levy afirmou: "Eu digo a verdade e repito o que eu digo. Quem quiser pode ajudar e quem me ajudar agradeço: continuo afastado do folhetim", disse ele. E acrescentou: "O resto, I don't care (eu não me importo)".

O ministro afirmou que está empenhado na negociação da Medida Provisória 694, que precisa ser votada hoje. A MP dispõe sobre os benefícios fiscais do regime especial da indústria química. O ministro disse que está negociando um benefício "para ser o melhor".

Levy acrescentou que tem um objetivo no governo e que tem muita coisa a fazer na economia. O ministro não falou sobre a proposta de redução da meta de superávit primário de 2016. A presidente aceitou na terça-feira a mudança da meta para 0,5% do PIB com possibilidade de abatimentos, que podem zerar a meta. 

A necessidade de manutenção da meta de 0,7% do PIB tem sido defendida publicamente pelo ministro Levy. Depois da decisão da presidente, aumentaram os rumores de que o ministro estaria deixando o governo. 

Tudo o que sabemos sobre:
levymeta fiscalcontas públicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.