Levy diz que País pode renovar acordo com FMI por precaução

O jornal Financial Times afirma hoje que o Brasil poderá renovar seu acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) no próximo mês mesmo diante do fato de a confiança dos investidores e as contas externas do País estarem tendo a sua melhor performance já registrada. "Ainda estamos considerando um acordo precaucionário com o Fundo", disse ao FT o secretário do Tesouro, Joaquim Levy. Segundo o diário britânico, o governo parece dividido sobre o tema. "Se você olhar para os números e para a conduta da política econômica, você não vê um país em crise", disse Levy. "Mas há riscos", acrescentou.Segundo o FT, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que como líder sindical e da oposição protestou contra o FMI durante décadas, sente-se feliz com a possibilidade de encerrar formalmente a dependência financeira do Brasil com o Fundo. "Baseando-se em repetidos recordes de alta dos mercados de bônus e ações do Brasil nas últimas semanas, parece que a maior economia da América do Sul está pronta", disse o FT."Mesmo assim, alguns assessores argumentam que uma contínua alta dos juros nos Estados Unidos poderia reverter os fluxos de capitais para mercados emergentes como o Brasil." Segundo o jornal, o real mais forte deverá reduzir neste ano o superávit comercial do Brasil e a perspectiva de "uma agenda agressiva de reformas parece fraca", diante do frágil apoio do Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.