Levy: Estado do Rio quer vender o Berj ainda este ano

O secretário da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro, Joaquim Levy, informou hoje à Agência Estado que o governo fluminense está trabalhando para vender ainda este ano o Banco do Estado do Rio de Janeiro (Berj), instituição que sobreviveu após a venda do antigo Banerj ao Banco Itaú.Segundo Levy, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a empresa de consultoria Price Waterhouse estão trabalhando na avaliação do Berj, que não conta com uma estrutura de agências e tem como ativos, além de empréstimos antigos, imóveis que, segundo o secretário, valem mais de R$ 50 milhões no total, títulos do governo e créditos fiscais originados de prejuízos de anos anteriores que podem ser utilizados pela instituição que vier a adquirir o Berj para abater impostos que tiver a pagar por seus lucros.Levy disse que não tem idéia sobre o total que o Estado do Rio poderá arrecadar vendendo o Berj. Ele destacou que pretende colocar a instituição à venda depois de resolver as pendências que poderiam inviabilizar o negócio. O secretário afirmou que o trabalho de preparação do banco para a venda está sendo feito sob a supervisão do Banco Central (BC). Embora afirme que pretenda colocar em leilão o Berj, Levy disse que é possível analisar hipóteses diferentes, como, por exemplo, a incorporação por outro banco público, como está negociando o Banco do Brasil para comprar a Nossa Caixa. "A idéia original é a de leiloar, mas não há obstáculos a se pensar em outra coisa", disse Levy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.