Levy retoma a Gazeta Mercantil

Empresário Nelson Tanure desiste do jornal por causa do acúmulo de dívidas trabalhistas

Cley Scholz, O Estadao de S.Paulo

25 de maio de 2009 | 00h00

A Companhia Brasileira de Mídia, do empresário Nelson Tanure, desistiu do jornal Gazeta Mercantil e anuncia oficialmente hoje que vai devolver o título ao empresário Luiz Fernando Levy. Em comunicado na primeira página do jornal, a empresa, que assumiu o controle do jornal em 2003, anuncia que continuará responsável pela edição só até o fim do mês.O motivo da desistência é o acúmulo de decisões judiciais favoráveis a credores da Gazeta, especialmente da Justiça do Trabalho. Ao fechar o negócio com Levy, Tanure tinha a intenção de ficar apenas com o título do jornal, criando uma nova empresa, a CBM, deixando as pendências judiciais para a antiga empresa.Os problemas financeiros da Gazeta vinham se agravando desde o fim do ano passado, provocando atrasos nos salários dos funcionários e no aluguel do imóvel ocupado na Rua Gomes de Carvalho, na zona sul de São Paulo. No início deste mês, o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP) suspendeu o termo de compromisso firmado pela Editora JB, do grupo de Nelson Tanure, para pagar a dívida trabalhista do jornal, que já estaria perto de R$ 200 milhões, segundo o site Consultor Jurídico.O grupo de Tanure havia feito um acordo para pagar a dívida trabalhista em 35 vezes, mas só pagou 11 parcelas de 400 mil. Para garantir os seus créditos, os credores passaram a requisitar a penhora de bens e ativos financeiros das empresas do grupo. Toda a receita de publicidade do jornal passou a ser bloqueada, o que agravou a crise interna e os atrasos de salários.A crise no jornal, que culminou na sua transferência para o grupo de Tanure, ocorreu no final da década de 90 e início dos anos 2000. Após anos de liderança absoluta entre os jornais especializados em economia, as contas da empresa se deterioraram, ao mesmo tempo em que a sua direção decidiu ampliar as áreas de atuação, com uma investimentos em internet e televisão.O jornal passou pela crise e por uma drástica reestruturação nos últimos anos. Atualmente, conta com uma redação unificada com os demais produtos jornalísticos da empresa, o JB, Forbes e a agência InvestNews. Segundo o IVC, a tiragem diária do jornal é de 70 mil exemplares. COLABORARAM MANUEL LUME E MARILI RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.