Lew elogia economia dos EUA e critica China

O Secretário do Tesouro dos EUA, Jacob Lew, afirmou que o EUA podem ter um papel mais forte no encontro do G-20 na Austrália, uma vez que a questão do limite da dívida foi resolvida, o orçamento foi aprovado e os dados dos últimos meses mostraram uma economia "muito positiva". "Pela primeira vez em muito tempo, as coisas estão se movendo na direção certa."

AE, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2014 | 01h05

O secretário do Tesouro afirmou que os EUA agora apresentam uma taxa de crescimento mais resistente e que está crescendo. "Nós agimos mais forte e mais rápido que outros países. O resultado é que nós temos uma taxa de crescimento que está melhor que outros países", afirmou. Lew ainda declarou que no encontro do G-20, na Austrália, dirá aos outros países para aprenderem um pouco com a experiência norte-americana.

Antes de embarcar para Sydney, Lew ressaltou as incertezas na China. O Secretário do Tesouro afirmou que os chineses entendem a necessidade por reformas econômicas, orientadas para o mercado, mas questionou como elas poderão conviver com a estabilidade social e política. "Portanto, enquanto estou persuadido que eles entendem a direção da mudança, estou cauteloso em prever a velocidade da mudança."

A zona de livre comércio de Xangai, por exemplo, desperta dúvidas no Secretário de Estado dos EUA. "Não é o suficiente dizer que embarcará em acordos de investimentos bilaterais para alterar a premissa de que os mercados estão fechados para uma premissa de que os mercados estão abertos, mas então não listar nenhuma dessas áreas que será aberta", disse. Lew afirmou que os EUA continuarão a pressionar a China, e que isso não é "apenas impaciência, mas é importante para a economia mundial". Fonte: Market News International.

Tudo o que sabemos sobre:
Euag20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.