LG começa a fabricar monitores de plasma no Brasil

A LG Electronics anunciou nesta segunda-feira o início da fabricação no Brasil de monitores de plasma e do DVD 2-in, produto multifuncional que combina DVD e VCR (videocassete). Para tanto, a fabricante sul-coreana investiu US$ 2 milhões na fábrica de Manaus, de onde sairão as primeiras unidades no final do mês.Os investimentos na fábrica amazonense podem indicar que a companhia decidiu direcionar a fabricação de monitores para Manaus, em detrimento da produção em Taubaté (interior de SP), onde hoje estão concentradas as linhas de monitores. Desde o dia 16 de setembro, os 400 trabalhadores da linha paulista estão em férias coletivas, sob alegação de "necessidade de adequar a produção à retração do mercado".À época do primeiro anúncio de férias coletivas - os funcionários já estão no segundo período -, a LG informou, por meio de nota, que está negociando com o governo estadual incentivos à produção em Taubaté, a fim de evitar uma possível transferência da linha para a planta de Manaus e encerramento das atividades em Taubaté.A LG negocia com o Estado a redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), incidente sobre monitores, além de melhorias na Rodovia dos Tamoios e no Porto de São Sebastião, principais pontos de escoamento dos produtos para os mercados interno e externo.De acordo com a diretora de Marketing da LG, Valéria Camarero, o investimento se alinha com a nova estratégia da companhia no País, que prevê a nacionalização de produtos e o aumento das exportações. Segundo Valéria, a produção local do monitor de plasma de 42 polegadas acarretará redução do preço do produto, hoje em torno de US$ 7,5 mil.Já o DVD 2-in, equipamento desenvolvido exclusivamente para o mercado brasileiro, tem preço previsto ao consumidor final de R$ 1 mil. De acordo com Valéria, a aposta no aparelho, que integra funções de DVD e videocassete, decorre de uma característica peculiar do mercado nacional: embora exista procura crescente pelos aparelhos de DVD, o usuário ainda utiliza o videocassete para reprodução de fitas de acervo pessoal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.