Liberbank estreia na bolsa e funcionários ficam nus em protesto

Valorização foi de 30% no primeiro pregão, mas possíveis demitidos tiraram as roupas em Madri

Economia & Negócios,

16 de maio de 2013 | 15h45

MADRI - O Liberbank - grupo espanhol de instituições financeiras formado pelos bancos Cajastur-CSM, Caja Cantabria e Caja Extremadura - estreou com sucesso nesta quinta-feira, 16, na Bolsa de Madri. E, embora o preço de referência de seus papéis tenha subido nada menos que 30% neste primeiro dia, seus funcionários não deram a mínima: tiraram a roupa no meio da rua em protesto.

Cerca de 1,3 mil trabalhadores do Liberbank enfrentam hoje o que se chama na Espanha de Expediente de Regulação de Emprego (ERE). As manifestações contra o processo aconteceram em frente ao prédio da Bolsa de Madri.

A legislação do país prevê que, em caso de situação financeira delicada, empresas possam suspender ou anular contratos de funcionários.

As negociações do ERE do Grupo Liberbank ainda estão em curso. Mas, como se vê na imagem da agência Efe, os manifestantes não sentem que seus direitos estejam sendo totalmente cobertos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.