Libra se aproxima da paridade com o euro

A libra esterlina, uma das moedas mais caras do mundo, caminha a passos largos para a paridade em relação ao euro. Desde outubro, com o aprofundamento da crise do sistema financeiro internacional, a divisa britânica perdeu 17% de seu valor comparada à moeda de 15 países da União Européia. Em um ano, a desvalorização deve chegar a 30%. Efeito prático: em 2008, o Produto Interno Bruto (PIB) da França ultrapassou o do Reino Unido pela primeira vez desde 1999.A perda de valor da libra frente ao euro - e ao dólar - já vinha acontecendo em ritmo lento ao longo do primeiro semestre do ano, mas se transformou em maxidesvalorização a partir de outubro. Em 24 de agosto, 20 dias antes da falência do banco norte-americano Lemann Brothers, cada euro era comprado por 0,789 libra. Ontem, o câmbio era de um euro por 0,945, valor pior do que o verificado em 17 de dezembro - 0,932 libra -, até então o mais baixo da moeda britânica em relação à sua concorrente continental desde 1999.As explicações para a desvalorização desde outubro são múltiplas, segundo analistas. O patamar da taxa básica de juros estabelecido pelo Banco da Inglaterra em dezembro, de 2%, é o mais baixo desde 1951, enquanto o Banco Central Europeu (BCE) hesita em reduzir seu índice, hoje de 2,5%. Além disso, a confiança na economia do Reino Unido - reflexo do que ocorre nos Estados Unidos - está mais baixo do que no conjunto da União Européia. Terceiro elemento: as estatísticas apontam uma recessão mais severa e prolongada na ilha do que no continente."O euro vem ganhando terreno desde o verão passado (inverno no Brasil)", explica Nicolas Rémy, analista da consultoria Matérias-Primas e Divisas, de Paris. "Enquanto o euro perdeu terreno face ao dólar desde outubro passado, a moeda européia continua se valorizando fortemente em relação à libra esterlina." Para Rémy, sinais técnicos indicam que as duas divisas caminham para a paridade. "Eu acredito na valorização do euro porque a pressão continua de alta. O rompimento da zona de congestão de 0,8 libra por euro redinamizou a tendência de igualdade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.