Licença para gasoduto Caibiúnas-Vitória está atrasada

Está atrasada a emissão da licença do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para o início da operação do Gasoduto Cabiúnas (RJ)-Vitória (ES). No balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) divulgado ontem, constava que a licença sairia até o dia 21 de janeiro (anteontem), mas o Ibama informou que a questão ainda está sendo analisada na área técnica.A expectativa do Ibama é de que a licença saia entre o fim desta semana e o início da próxima. A Petrobras, responsável pelo duto, informou que a licença deverá sair até a próxima quarta-feira e disse que o atraso não compromete a previsão constante do PAC de que o gasoduto entrará em operação no dia 15 de fevereiro próximo.O gasoduto Cabiúnas-Vitória é particularmente importante para o governo, porque permitirá uma geração adicional de energia elétrica de 1.000 MW nas usinas termoelétricas de Macaé e Termorio. Nas reuniões mais recentes do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), o início da operação desse gasoduto foi apontado como um dos fatores que poderão aliviar as preocupações sobre o abastecimento de energia no País, levando-se em conta o problema do baixo nível de água dos reservatórios das hidrelétricas.Quando em operação, o duto terá capacidade de bombear cerca de 5,5 milhões de metros cúbicos diários de gás natural da Bacia do Espírito Santo para as termoelétricas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.