Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

coluna

Carolina Bartunek: ESG, o que eu tenho a ver com isso?

Líder do governo na Câmara negocia com categorias da segurança para abrandar regras na Previdência

Caso os representantes aceitem, Vitor Hugo e os demais deputados do PSL ligados à segurança pública pretendem levar isso ao relator da Previdência

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2019 | 17h04

BRASÍLIA - O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), negocia na tarde desta segunda-feira, 1, uma proposta para alterar as regras previstas no texto da reforma da Previdência para policiais federais e policiais federais rodoviários. Segundo ele, a equipe econômica, destacando o nome do secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, enviou a ele uma proposta para ser negociada com a categoria. A demanda principal da categoria é pela integralidade e paridade das aposentadorias. 

"Eu tive uma reunião com a equipe econômica e tenho uma proposta, eu conversei com o deputado Marcelo Freitas (PSL-MG), ele fez uma contraproposta, e eu quero conversar com os líderes para ver se essa contraproposta pode ser aceita", disse Vitor Hugo a representantes da classe.

Caso os representantes aceitem, Vitor Hugo e os demais deputados do PSL ligados à segurança pública pretendem levar isso ao relator da Previdência. A ideia é que Samuel Moreira (PSDB-SP) já incorpore as mudanças em seu voto complementar que deve ser lido amanhã, evitando assim a necessidade do partido apresentar um destaque na comissão.

"Há proposta (da equipe econômica) para aproximar a expectativa de todo mundo com nossas possibilidades. Se as categorias toparem algo próximo do que vamos oferecer, vamos procurar Samuel Moreira. Queremos sensibilizar relator para pelo menos trazer PF e PRF para apoiar modificações", afirmou.

Segundo o senador do PSL, Major Olímpio (SP), que também participa das negociações nessa tarde, as categorias querem regras iguais às das Forças Armadas. A equipe econômica teria apresentado uma alternativa de se buscar a simetria, mas dosando questões como tempo de transição, contribuição e idade mínima. "O Vitor Hugo está trazendo uma proposta do governo", disse. "Categorias querem garantia de integralidade e paridade. Estamos buscando um meio termo". Olímpio diz que há ainda a possibilidade de se tentar "calibrar" a idade mínima das categorias.

Os deputados do PSL se reúnem na tarde desta segunda-feira com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para tratar sobre o assunto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.