Liderança do G20 será essencial para garantir reforma do setor financeiro, diz Bernanke

Segundo presidente do Fed, fortalecimento da economia global exigirá ampla cooperação

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

31 de maio de 2010 | 08h41

O presidente do Fed, Ben Bernanke, pediu ao G-20, presidido pela Coreia do Sul, para exercer a liderança na questão da reforma do setor financeiro. "O fortalecimento do sistema financeiro internacional e a garantia de que as instituições financeira estão bem regulamentadas, bem capitalizadas, líquidas e transparentes irão exigir ampla cooperação internacional", disse Bernanke em discurso preparado para ser apresentado em uma conferência em Seul.

A liderança global do G-20 "será essencial para dar garantia de que as reformas sejam não somente fortes, mas eficientes e também consistentes e coordenadas entre os países".

Os bancos centrais globais deverão reverter suas políticas de estímulo econômico em diferentes momentos, levando em consideração fatores locais, uma vez que não pretendem tomar decisões apressadas ou atrasadas de aperto da política monetária, ainda afirmou o presidente.

A regulação dos bancos para evitar o reaparecimento da crise financeira global será um dos principais tópicos da reunião de ministros das finanças e de autoridades dos bancos centrais em Busan, na Coreia do Sul, nesta sexta-feira e sábado. Os membros do grupo estão divididos, com os EUA próximo da aprovação de várias mudanças na regulação financeira e alguns países europeus defendendo a criação de um imposto global para os bancos, ideia rebatida pelo Canadá e outros países.

Bernanke disse que os mercados emergentes estão em posição melhor para enfrentar a crise recente, em parte porque fortaleceram suas economias e seus sistemas financeiros, movendo-se para superávits fiscais e em conta corrente, aumentando suas reservas e reduzindo os desalinhamentos entre moedas e vencimentos de seus ativos em relação às obrigações.

Bernanke não comentou sobre a economia dos Estados Unidos e sobre a política monetária norte-americana. As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.