Light investe R$ 100 milhões em sistema de gestão comercial

A Light, distribuidora de energia elétrica do Rio, investiu R$ 100 milhões para a implementação de um novo sistema de gestão comercial que permitirá uma visão unificada dos clientes da distribuidora, bem como maior controle e rapidez na execução de serviços de campo. "Agora, quando o cliente for atendido pelo nosso call-center, o atendente terá disponível uma ficha mais completa dele, com todas as suas unidades de consumo", disse o gerente do novo sistema, Mauro Andrade. A empresa conta com 3,8 milhões de clientes no Estado do Rio.Ele explicou que, pelo antigo sistema, uma mesma pessoa que mantém duas casas, com dois tipos diferentes de consumo de energia, era encarado pela Light como dois clientes diferentes, no atendimento. "O foco agora será no cliente e não na unidade de consumo", afirmou. "Houve uma melhora na qualidade de nosso cadastro, que contará com CPF, telefones e endereços completos dos clientes", disse, acrescentando que, somente na melhoria do cadastro, foram investidos R$ 3,2 milhões.Esse maior controle na base de clientes também permitirá que a Light trabalhar de forma mais eficaz no combate à fraudes e perdas. Atualmente, o índice de perdas de energia da empresa é de 24% do total distribuído - e esse porcentual é um dos mais altos do País. De acordo com o diretor de Clientes da Light, Roberto Alcoforado, o sistema tem uma base de dados mais interligada, e que incorpora dados novos sobre o consumidor. "Na base de dados, é possível ver se o cliente já teve casos anteriores de fraude", afirmou Alcoforado.ContaDevido aos trâmites burocráticos para implantação de um novo sistema de gestão comercial, a Light contabilizará, em média, três dias a menos na conta de luz do consumidor em setembro. O diretor de Clientes da Light, Roberto Alcoforado, considerou que o resultado financeiro da empresa para o mês de setembro pode ser afetado."Pode haver uma pequena redução no faturamento de setembro, mas isso será compensado na conta de outubro", disse, esclarecendo que a conta de energia desse mês, além da contabilização de três dias adicionais de consumo, também será elevada devido a outro fator: o calor. "Não podemos nos esquecer que outubro é um mês mais quente, e o uso de aparelhos elétricos aumenta", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.