Light promete intensificar fiscalização

Empresa está elevando investimentos neste ano, para R$ 600 milhões, quase o dobro dos R$ 350 milhões de 2007

Alaor Barbosa, da Agência Estado,

07 de maio de 2008 | 17h44

A Light vai intensificar as ações de fiscalização contra o furto de energia e inadimplência dos seus clientes. A posição foi reiterada hoje pelo vice-presidente da distribuidora de energia elétrica, Roni Vaz Moreira, em teleconferência com analistas. Para isso, a empresa está elevando os investimentos neste ano, para R$ 600 milhões, quase o dobro dos R$ 350 milhões aplicados no ano passado. Além disso, a empresa vai intensificar o corte por atrasos de pagamento ou furto, que deverão atingir 960 mil até o final do ano, ante os 450 mil registrados no ano passado.A Light está inaugurando também um novo sistema de medição no consumo de energia, que permitirá o monitoramento à distância dos seus clientes. Inicialmente a empresa está instalando um sistema com capacidade para fiscalizar à distância cerca de 140 mil clientes, que será ampliado gradualmente, à medida que for sendo aperfeiçoado. Nessa primeira etapa o controle será feito de forma terceirizada, com o fornecedor sendo remunerado com base no sucesso da iniciativa. Através desses equipamentos, a Light conseguirá fazer um balanceamento entre a carga (quantidade de energia) disponibilizada para os clientes e o volume faturado, permitindo captar eventuais desvios.Os diretores da Light não quiseram prever o nível de perdas da companhia até o final do ano, mas acreditam que haverá recuperação do percentual de perdas, após o aumento registrado no ano passado. O volume atingiu 20,5% da energia comercializada pela companhia no primeiro trimestre deste ano, o que representa aumento de um ponto percentual em relação aos 19,5% contabilizados no primeiro trimestre do ano passado. Moreira ressaltou, porém, que houve redução em relação aos 20,6% observados no quarto trimestre de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
Light

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.