Liminar impede bloqueio das rodovias Raposo Tavares e Castelo Branco no dia da greve geral

Quem descumprir a decisão pode pagar multa de R$ 10 mil

Ludimila Honorto, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2017 | 23h18

SÃO PAULO - A concessionária CCR ViaOeste, administradora das rodovias Castelo Branco e Raposo Tavares, conseguiu liminar nesta quinta-feira, 27, impedindo o bloqueio das vias durante a greve geral marcada para sexta, 28.

A liminar foi concedida pelo juiz Bruno Paes Straforini da 1ª Vara Cível de Barueri e determina multa de R$ 10 mil para cada pessoa que descumprir a decisão.

Com a determinação judicial, ficam proibidas quaisquer manifestações ou bloqueios do Sistema Castelo-Raposo, que compreende as Rodovias Castelo Branco (SP-280), de Osasco a Itu; Raposo Tavares (SP-270), de Cotia a Araçoiaba da Serra; Senador José Ermírio de Moraes (SP-075), de Sorocaba a Itu e Dr. Celso Charuri (SP-091/270), em Sorocaba. 

Em nota, a CCR ViaOeste diz que “respeita o direito democrático de manifestação dos cidadãos, mas não pode permitir que os direitos de ir e vir de seus usuários sejam prejudicados”. A concessionária acrescenta que “cabe às forças policiais fazerem cumprir a determinação da Justiça”.

O secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Mágino Alves, disse que o policiamento será reforçado em São Paulo nesta sexta-feira, 28, por causa de manifestações. O efetivo irá impedir bloqueios em rodovias, vias centrais - como marginais e Corredor Norte-Sul - e acessos aos aeroportos.

O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) disse que pretende fechar os acessos aos aeroportos de Congonhas, na zona sul da cidade, e de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Greve GeralSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.