Claia Vianna/Agência Câmara
Claia Vianna/Agência Câmara

Lira diz que Petrobras deve ser 'lembrada' de que 'brasileiros são acionistas' da estatal

Declaração do presidente da Câmara, Arthur Lira, faz ações da empresa caírem mais de 2% na Bolsa de Nova York; presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, participa de debate na Câmara nesta terça

Matheus de Souza e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2021 | 20h41

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (Progressistas-AL), criticou a Petrobras ao divulgar, nas redes sociais, a participação do presidente da empresa, Joaquim Silva e Luna, em debate na Casa nesta terça-feira, 14. "Tudo caro: gasolina, diesel, gás de cozinha. O que a Petrobras tem a ver com isso? Amanhã, a partir das 9h, o plenário vira Comissão Geral para questionar o peso dos preços da empresa no bolso de todos nós. A Petrobras deve ser lembrada: os brasileiros são seus acionistas", publicou Lira no Twitter.

Silva e Luna participa de um debate sobre a situação da operação das termelétricas, o preço dos combustíveis e outros assuntos relacionados à empresa no plenário da Câmara, nesta terça-feira, 14. Inicialmente, ele seria ouvido pela comissão de Minas Energia, mas o evento foi transferido ao plenário para que todos os deputados participassem.

Bolsonaro já reclamou publicamente da alta dos preços e tirou Roberto Castelo Branco do comando da estatal no início deste ano. Ele foi substituído por Silva e Luna.

Em algumas cidades do país, o preço do litro da gasolina já passa dos R$ 7 – e se transformou num dos vilões da inflação deste ano, responsável por afetar duramente o orçamento das famílias brasileiras.

Os preços cobrados nas bombas viraram motivo de embate entre o presidente e os governadores. Bolsonaro tem cobrado publicamente que os Estados reduzam o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), imposto estadual, para que, dessa forma, os preços da gasolina e do diesel recuem. A maior margem, porém, fica com a Petrobras (na gasolina, no diesel e no gás de cozinha).

Na gestão atual, a Petrobras ainda diz manter a paridade do preço dos combustíveis, mas os reajustes acontecem numa frequência menor - o último foi anunciado em 11 de agosto.

Ações desabam em NY

Após a declaração do presidente da Câmara, as ações da Petrobras tiveram um tombo na negociação realizada após o fechamento do mercado na Bolsa de Nova York. Os papéis chegaram a perder mais de 2% do valor, depois de terem encerrado o dia com alta de 3,7%. 

As ações encerraram a negociação pós-fechamento do mercado com queda de 1,16%. 

A declaração de Lira está em linha com as diversas críticas de Jair Bolsonaro aos preços dos combustíveis. O presidente já reclamou em outras ocasiões da atuação da Petrobras em relação ao custo dos combustíveis, com reflexos para o mercado financeiro. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.