Lobão afirma que com pré-sal Brasil mais que dobra reservas

Ministro disse que, apesar das críticas feitas sobre o regime de partilha, o modelo foi bastante discutido pelo governo federal

Wellingont Bahnemann, Sabrina Valle e Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

21 de outubro de 2013 | 15h46

RIO - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou em discurso que o leilão do campo de Libra, o primeiro do pré-sal, abre um novo tempo na exploração de petróleo no Brasil. "Libra será um divisor de águas para o Brasil", afirmou o ministro, pouco antes da abertura da licitação.

Com o campo de Libra, Lobão destacou que o Brasil mais do que dobra as suas reservas recuperáveis de petróleo, alcançado 25 bilhões de barris de petróleo e gás. "São recursos imensos a serviço da população brasileira", afirmou.

De acordo com Lobão, apesar das críticas feitas pela adoção do regime de partilha para os campos do pré-sal, esse modelo foi bastante discutido e estudado pelo governo federal antes de sua implementação. "Essa é uma lei que atende aos interesses da população brasileira. A educação e a saúde têm sido muito discutidas, e finalmente iremos praticar aquilo que o povo deseja, que é uma educação e saúde de países desenvolvidos", afirmou.

O ministro também destacou que o modelo de partilha irá fomentar a indústria nacional e a cadeia de fornecedores da indústria naval. Além disso, comentou que os diretores da PPSA, empresa que vai representar os interesses da União nos consórcios do pré-sal, foram escolhidos sem a influência de "fatores exógenos". "Os diretores da PPSA foram escolhidos pelo mérito e são técnicos da melhor competência", assegurou Lobão.

Tudo o que sabemos sobre:
pré-salleilãolobão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.