Lobão confirma Decat no comando das federalizadas

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, confirmou hoje que o ex-presidente da Eletronuclear, Flávio Decat, vai comandar dentro da Eletrobrás as sete empresas de distribuição de energia federalizadas. "Queremos que as empresas federalizadas se arrumem, se reorganizem e retomem os investimentos", disse Lobão. O presidente da Eletrobrás, José Antonio Munir Lopes, explicou que não será necessário criar uma holding para centralizar a administração das sete empresas: Ceal (Alagoas); Cepisa (Piauí); Manaus Energia (Amazonas); Ceam (Amazonas); Ceron (Rondônia); Eletroacre (Acre) e Boa Vista (Roraima). Em vez disso será criada, na reunião do Conselho da Eletrobrás, uma diretoria de distribuição na Eletrobrás, que ficará a cargo de Decat. Além disso, Decat será nomeado presidente de cada uma das empresas e algumas diretorias estratégicas, como de regulação, terão também um único executivo para todas as companhias. Segundo Lopes as empresas federalizadas dão prejuízos anuais de R$ 1 bilhão. Parte dessa perda, explicou, é causada por aspectos regulatórios. É por isso que, segundo Lopes, o Ministério de Minas e Energia está atualmente trabalhando na elaboração de um marco regulatório específico para os chamados sistemas isolados, localizados principalmente na Região Norte, onde está a maior parte das empresas federalizadas. Sem dar detalhes, Lopes afirmou que essa nova regulamentação pretende distribuir melhor os gastos da Eletrobrás para produzir energia na região. "Não podemos continuar vendendo energia por um valor menor do que o custo", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.