Lobão convoca reunião de emergência sobre apagão NE

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, convocou para esta segunda-feira, às 15h, uma reunião extraordinária do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) para analisar informações a respeito do apagão que atingiu seis Estados do Nordeste no último sábado. O incidente foi tratado pelo ministério como uma "perturbação" no sistema elétrico da região.

ANNE WARTH, Agencia Estado

24 de setembro de 2012 | 00h07

Lobão está em Nova York para participar de um encontro do Grupo de Alto Nível sobre Energia Sustentável Para Todos, no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU) e não participará da reunião. Ela será conduzida pelo secretário executivo do ministério, Márcio Zimmermann, e terá a partipação de integrantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), entre outros.

O apagão afetou mais de 5 milhões de nordestinos por um período de 20 a 30 minutos, segundo levantamentos iniciais do governo. No ano passado, problema idêntico atingiu 13,5 milhões de pessoas em sete estados, em alguns deles por mais de três horas. Desta vez, o problema começou por volta das 15h50 do sábado e atingiu em sequência os Estados da Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco e Sergipe.

De acordo com o ONS, responsável pelo Sistema Interligado Nacional, a falha provavelmente teria ocorrido em um transformador, na interligação Sudeste-Nordeste e Norte-Nordeste. No sábado, foi detectada uma explosão de um equipamento na subestação da Companhia Energética do Maranhão (Cemar) na cidade de Imperatriz. Como o sistema é interligado, esse incidente pode ter provocado a queda de energia elétrica em toda a região.

Ainda segundo o ONS, a pane ocorreu das 15h50 às 16h20 e afetou vários bairros do Recife e outros municípios pernambucanos e na sequência os demais estados. Um mecanismo de segurança corta a carga de energia de forma seletiva com a detecção do problema para evitar que a descarga danifique aparelhos. Nesse caso, apenas serviços essenciais, como hospitais e escolas, não deixam de ser abastecidos.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou no sábado que, quando acontece falha no serviço elétrico, o ONS convoca uma reunião para tratar do assunto. Segundo a Aneel, geralmente é aberto um processo de fiscalização para apurar as causas do incidente e podem ser aplicadas multas.

Os moradores da região Nordeste que sofreram com o apagão e tiveram algum aparelho eletrônico danificado devem procurar a distribuidora de energia em até 90 dias para pedir o ressarcimento.

Tudo o que sabemos sobre:
Lobãoenergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.