Lobão: licença de usinas no Parnaíba preocupa governo

O governo está preocupado com a demora no processo de licenciamento ambiental dos projetos de construção de cinco usinas hidrelétricas no Rio Parnaíba, na divisa do Estado do Piauí com o de Tocantins. Segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, a demora na emissão das licenças foi um dos assuntos discutidos hoje com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que se reuniram para tratar das obras do setor elétrico previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).Segundo dados oficiais, o governo pretende licitar cinco usinas no Rio Parnaíba que somam potência de 617 megawatts: Estreito Parnaíba, Ribeiro Gonçalves, Uruçui, Castelhano e Cachoeira. Pelos planos do governo, essas hidrelétricas entrariam em operação no período de 2013 a 2016.Lobão, entretanto, afirmou que a responsabilidade pela demora no licenciamento não pode ser atribuída apenas ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgão federal que concede as licenças. "Há defeitos nos projetos apresentados pela Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco). O Ibama não tem responsabilidade exclusiva", reconheceu o ministro Edison Lobão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.