Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Lobão: não há o que negociar com Cassol sobre Jirau

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje que "não há o que negociar" com o governo de Rondônia, Ivo Cassol, sobre a construção da hidrelétrica de Jirau, no complexo do Rio Madeira. Ontem, o governador ameaçou colocar dificuldades para dar o aval do governo do Estado à construção da hidrelétrica, caso o governo federal não aceite a proposta feita por ele de regularizar o assentamento de 5 mil famílias, em uma reserva de preservação ambiental, que pertence à União, próxima a área de construção de Jirau. Em troca, o governo de Rondônia repassaria à União uma reserva ambiental, que está preservada, e que fica na margem esquerda do Rio Madeira.

GERUSA MARQUES, Agencia Estado

07 de maio de 2009 | 12h03

"A viabilidade de Jirau está posta pelo governo federal e há interesse de todo o povo brasileiro. Portanto, não há o que negociar com o governo de Rondônia", afirmou Lobão, no programa "Bom Dia Ministro", gravado pela Radiobrás (NBR).

Lobão disse que participou, ontem, do encontro de Cassol com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que o governo federal se propôs a analisar a proposta de permuta das duas áreas.

Até o momento, o consórcio Enersus, responsável pela construção da hidrelétrica, tem uma licença parcial para a instalação do canteiro de obras. A licença de instalação definitiva da hidrelétrica ainda é analisada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e é nesse processo que o órgão ambiental de Rondônia será ouvido.

Tudo o que sabemos sobre:
energiaLobãoJirau

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.