Lobão vê 'conluio de ignorância' contra Belo Monte

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje que Belo Monte será orgulho nacional e exemplo para o mundo, "não só pelo colosso de moderna engenharia, mas também pelo completo respeito ao meio ambiente".

LUCIANA COLLET, Agencia Estado

21 de novembro de 2011 | 11h57

Segundo Lobão, que participou na manhã de hoje da abertura do Fórum Exame de Energia, em São Paulo, há um "conluio de ignorância e má-fé" contra a usina. Ele criticou organizações não-governamentais e estrangeiros que contestam a construção de Belo Monte, mas não quis comentar diretamente sobre o Movimento Gota D''Água, que lançou na semana passada uma campanha na internet com uma petição online contra a usina e que já conseguiu cerca de 1 milhão de assinaturas. Faz parte da campanha um vídeo-protesto em que aparecem diversos atores. "Somos um país em que as pessoas falam aquilo que pensam", disse o ministro.

Lobão também afirmou que o Consórcio Norte Energia, responsável pela obra, prepara um vídeo para esclarecimento da população com informações atualizadas sobre o projeto. Ele ressaltou que os índios "não serão molestados" pela usina, já que o grupo mais próximo está a 31 quilômetros de distância das usinas e que outros grupos estão a 200 quilômetros ou ainda mais distantes.

Durante sua apresentação no evento, Lobão destacou que o Brasil possui 48 quilômetros de rios, com potencial de 260 mil MW, 50% dos quais estão na região amazônica, e o País aproveita atualmente apenas um terço disso. "Temos uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, com 45% de fontes renováveis, ante 13%. Se considerarmos apenas a energia elétrica, esse porcentual sobe para 86% em 2010".

Tudo o que sabemos sobre:
energiaBelo MonteusinaLobão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.