Locaute dos portos continua; negociações sofrem novo revés

O diretor do Serviço Federalde Mediação & Conciliação dos EUA, Peter Hurtgen, disse quecontinua esperançoso de que as negociações entre os estivadorese as companhias de navegação serão retomadas amanhã. "Nósprecisamos reabrir os portos", disse Hurtgen. "Eu entendo apressão sobre a economia causada pelo fechamento dos portos",acrescentou. A Associação Marítima do Pacífico (PMA, sigla eminglês) deu início ao locaute dos portos da costa oeste dos EUAna sexta-feira para forçar o sindicato dos estivadores (ILWU,sigla em inglês) a retornar à mesa de negociações e concordar emrenovar o contrato da categoria - vencido em 1º de julho - sobreuma base diária. Hoje, as duas partes cancelaram a reunião marcada depois queos líderes dos estivadores se irritaram com a atitude da PMA dechamar segurança armada para o encontro em Oakland, onde Hurtgenestava tentando retomar as negociações. Hurtgen classificou aatitude de Joe Miniace, presidente da PMA, de trazer segurançaarmada como "inapropriada". Os líderes do sindicatoabandonaram a reunião quando souberam da presença dos segurançasdo lado de fora da sala. "Não haverá guardas armados. Isso édesnecessário", disse Hurtgen, em entrevista. A Casa Branca continua monitorando atentamente osdesenvolvimentos do caso, considerando o frágil estado daeconomia nacional. O presidente norte-americano, George W. Bush,tem a opção de invocar o Ato Taft-Hartley, que con fere aautoridade de decretar um período de trégua de 80 dias nadisputa trabalhista que ameace os interesses nacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.