Lojas Americanas conquistam bicampeonato do Destaque Empresas

As Lojas Americanas conquistaram pelo segundo ano consecutivo o Ranking AE Empresa, promovido pelo Destaque Empresas, com referência ao ano de 2005, da Agência Estado. O diretor financeiro e de Relações com Investidores da empresa, Roberto Martins, recebeu o prêmio das mãos do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. "Nosso bicampeonato é motivo de muito orgulho", destacou. "Temos um lema em nossa empresa: queremos sempre mais."As sociedades são avaliadas por meio do Ranking Agência Estado Empresas, elaborado em parceria com a Economática. Com uma metodologia exclusiva, a análise é feita a partir de sete critérios relacionados às expectativas dos acionistas: variação do retorno sobre patrimônio líquido, preço/lucro, preço/valor patrimonial da ação, dividendo/valor patrimonial da ação, oscilação, volatilidade e liquidez em Bolsa.A relação traz a pontuação média obtida pelas empresas. Segundo a metodologia do estudo, as menores pontuações representam as melhores posições. As companhias foram classificadas de acordo com os sete critérios.Conforme a posição que obtiveram em cada quesito, as participantes receberam pontuações. Dessa forma, a primeira colocada em liquidez, por exemplo, recebeu a nota 1. Para chegar ao resultado final, foi feita uma média simples de todos os pontos obtido nos sete critérios. A companhia que conseguiu a menor pontuação foi a vencedora. Só participaram do ranking empresas com patrimônio líquido superior a R$ 10 milhões.Martins disse que uma das principais metas da companhia é gerar valor para seus acionistas e funcionários. O diretor informou que a rede de lojas de varejo investiu R$ 30,7 milhões no primeiro trimestre, o que inclui a abertura de sete novas lojas, ampliando sua rede para 202 unidades. Segundo ele, até o final do ano serão abertos mais 23 pontos-de-venda no País, com investimento total de R$ 158 milhões.O presidente da Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), Renato Vale, recebeu das mãos do presidente da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), Raymundo Magliano Filho, o prêmio pelo segundo lugar no ranking. Emocionado, Vale disse, em seu discurso, que a CCR é uma empresa jovem, com apenas sete anos, e que foi criada com foco na boa governança corporativa. "A CCR foi planejada para ter ótimas práticas de governança e transparência" , afirmou. "Temos um planejamento de forte crescimento, visando a criar valor aos nossos acionistas" . Listada na Bovespa desde 2002, a CCR foi a primeira companhia a aderir ao Novo Mercado. FortalecimentoO diretor de Relações Institucionais do Itaú, Ricardo Terenzi, disse ao receber o prêmio Destaque Empresas, pelo nono lugar, que o reconhecimento das companhias com melhor retorno ao acionista contribui pra o fortalecimento do mercado de capitais."É uma honra receber o prêmio, pois esse coroa os esforços realizados pelo banco e conduz à ratificação do compromisso de construir uma empresa cada vez mais sólida e confiável." Ele afirmou que a premiação mostra que os resultados financeiros são importantes, mas que também é essencial o papel do banco perante a sociedade e os acionistas. Reconhecimento Fábio Barbosa, diretor de Finanças da Companhia Vale do Rio Doce, recebeu duas premiações na edição deste ano do Destaque Empresas, realizado pela Agência Estado para premiar as melhores companhias abertas de 2005. Além da mineradora, que ocupou o sétimo lugar, a sua controlada Caemi, incorporada neste ano, também recebeu a premiação em décimo lugar. Na avaliação do executivo, isso é um reconhecimento do mercado sobre a forma como as empresas tratam seus investidores. Foi o único grupo empresarial que recebeu duas premiações na edição deste ano. Pagamento de dividendosJá o diretor executivo do Bradesco e vice-presidente da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), Sérgio de Oliveira, ressaltou, ao receber o prêmio, que o banco foi a primeira empresa aberta a conceder pagamento mensal de dividendos aos acionistas. A instituição tem mais de 1,4 milhão de acionistas. O Bradesco ficou em sexto lugar.Importância O presidente da AES Tietê, quinta colocada, Eduardo Bernini, ressaltou a importância do mercado de capitais para o desenvolvimento social e econômico de longo prazo do Brasil. "Acreditamos que a poupança brasileira passa pelo mercado de capitais e como brasileiros, acreditamos no País." O gerente de Relações com Investidores da Natura, Helmut Bossert, ganhadora do quarto lugar, disse que o prêmio vem coroar o trabalho da empresa não só nos últimos dois anos de abertura de capital, completados no dia 26 de maio último, mas também de toda a existência da empresa. "A Natura vem tratando seus acionistas como devem ser tratados, pagando bons dividendos e entregando bons resultados." Trabalho coletivo O gerente de Relações com Investidores da AmBev, Fernando Tenembaum, disse que o prêmio de terceiro lugar não é resultado do trabalho de uma pessoa ou de um grupo, e sim da equipe toda de funcionários, que conseguiu no ano passado elevar o Ebitda (quanto a empresa gera de recursos apenas em sua atividade, sem levar em consideração os efeitos financeiros e de impostos) da empresa em 39% e obter uma margem Ebitda de 39,5%.É também, segundo ele, o reconhecimento da rígida disciplina financeira da empresa e da política de transparência. "No ano passado, a AmBev retornou aos seus acionistas R$ 2,7 bilhões em dividendos, juros sobre capital próprio e recompra de ações", afirmou. Também na área de gestão ambiental, a empresa tem procurado ser referência, segundo o executivo, por meio de ações culturais e de consumo responsável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.