Lojistas esperam em fevereiro o impacto da alta dos juros

Os efeitos da onda de elevação da taxa de juros, iniciada em setembro do ano passado, serão sentidos a partir do fim do mês que vem, avalia o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Carlos Henrique Levandowski "Haverá uma desaceleração das vendas mais acentuada no varejo já no fim do mês que vem, quando se completam seis meses desde o primeiro aumento", afirma, em nota há pouco distribuída.O presidente da CNDL lembra que "2004 foi um bom ano para o comércio", mas manifesta preocupação com o desempenho do varejo em 2005, com mais um aumento da Selic.A economista da CNDL Suzanne Bouchardet avalia que a decisão do Copom em aumentar em 0,50 ponto a taxa básica de juros, levando em consideração o IPCA do mês de janeiro, é uma precipitação do Banco Central. "Todo os anos, o IPCA de janeiro tem um índice mais elevado por causa de alguns segmentos que ajudam a puxar a inflação pra cima, como por exemplo o item educação. Justificar mais esse aumento da Selic em função do que está acontecendo com o varejo no mês de janeiro é uma precipitação do Copom", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.