finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Lojistas vendem na rua para economizar energia

Para driblar o apagão, alguns lojistas da Rua Joaquim Antunes, nos Jardins, vão virar feirantes. No próximo sábado, os produtos de lojas famosas e caras como FAS, Puntoluce e Pijamah estarão sendo vendidos na calçada com descontos de até 60%. A idéia de deixar todas as portas fechadas e as luzes apagadas partiu do arquiteto Júlio Pechman e ganhou a simpatia de 20 empresários da região, que esperam economizar, juntos, 2 mil kWh. Essa quantidade de energia é suficiente para abastecer todos os estabelecimentos por dois dias normais. "Sábado é o dia de maior movimento e maior consumo", explica a lojista Devanir Barboza. "Eu, que tenho um show room de iluminação, sei o quanto isso representa."Devanir é dona da Pontoluce e consome por mês 3.950 kWh. Empolgada com a possibilidade de pagar menos, ela vai dar de brinde, em cada compra de abajur ou luminária, uma lâmpada de 23 watts . Mesmo quem não puder tirar todos os objetos da loja, promete não gastar luz. "Meus móveis mais pesados não têm como ir para a rua", diz Mônica Krugliankas, da FAS. "Mas vou deixá-los na vitrine e aproveitar o sol."A feira, que recebeu o nome ´Achados na Joaquim´, será realizada sempre no primeiro sábado do mês, das 10h às 16h. Inicialmente, só parte da rua, do número 31 ao 296, será ocupada pelo comércio, mas a intenção é expandir também para o outro lado da Avenida Rebouças, onde está a Joaquim Antunes que pertence ao bairro de Pinheiros. "Se der certo", diz Pechman, "vamos até a esquina com a Vila Madalena".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.